30 de junho de 2014

oMeUc0rAçÃo

O meu coração é azul quando sorri, vermelho porque existe, branco de ser. O meu coração canta ao amanhecer. O meu coração tem um mar dentro, um rio nos olhos, o céu infinito. O meu coração também é grito. O meu coração sorri pela manhã, abraça nos segundos de ti, chora a saudade. O meu coração rompe a verdade. O meu coração é lindo! Apaixonado. Um eterno poema aberto na nossa casa. O meu coração não se atrasa. O meu coração cheira a nós, tem o sabor dos beijos, uma cor que nunca se perdeu. O meu coração é teu!

27 de junho de 2014

fAz-MeFaLtA

Faz-me falta a lágrima, cada minuto da memória adormecida. Faz-me falta o pequeno lugar onde a maré se encontra com o tempo. Faz-me falta o sorriso envolto nas mãos grossas de mãe. Faz-me falta o verso no vento. Faz-me falta a porta aberta, a janela sempre pronta a pintar as cores do mundo e a gargalhar. Faz-me falta a respiração. Faz-me falta o encontro. Faz-me falta o rio. Todas as palavras perdidas por aí. Faz-me falta a saudade. Faz-me falta o pedaço da tua pele e os cheiros. O toque com que sentia a tua presença. Fazes-me falta.

17 de junho de 2014

aBrAç0NaPeQuEnApAnTeRa


Pequena Pantera, por onde andas?
Pelos caminhos do coração.
Pequena Pantera, que fazes?
Vivo.
Porque vives, só, Pequena Pantera?
Porque preciso.
E depois?
E depois, talvez ame.
E depois?
E depois é tudo, Pequeno Príncipe. Já sabes...
Não consegues fazer as duas coisas ao mesmo tempo, Pequena Pantera?
Ainda não.
E quando vais conseguir?
Um dia...
Quando?
Um dia...
Amanhã?
Talvez...
Depois de amanhã?
Quem sabe...
Para a semana?
Provavelmente...
Não sabes, é, Pequena Pantera?
Pois... Nunca sabemos quando vamos amar. Já sabes...
Queria dar-te um abraço.
E porque não dás, Pequeno Príncipe?
Porque para isso, tens de amar.
Oh... Então pode ser!

5 de junho de 2014

rEaLl0vE

No movimento do tempo que passa
Na ternura das manhãs assim
No perfume doce de quem se abraça
Na canção, oferecida, tatuada em mim

No encanto do teu sorriso de magia
Na saudade que se semeia sem fim, sem fim...
No calor da tua pele que me guia
Na canção, oferecida, tatuada em mim

Na voz do campo em flor e profundo
Na dança solta, no vestido de cetim
Na verdadeiro amor sempre fecundo
Na canção, oferecida, tatuada em mim

No futuro que somos nós e queremos!
Na gravidez calma em tons de eterno jardim!
No muito dos beijos que se plantam no que temos!
Na canção, oferecida, tatuada em mim!

LeGeNdA

Pac-man e suas princesas