27 de março de 2014

mÃe

Porque te choro ainda, mãe? Porque é que vagueio inconsciente entre as memórias e o esquecimento? Porque é que parece que falta qualquer coisa na minha vida? Porque é que também quero recusar mais lágrimas? Que o tempo foi tamanho e a minha pele está carregada do teu cheiro e do teu toque. Que a minha voz sussurra-se na ternura das tuas histórias. Que as minhas mãos transportam o poder dos teus passos. Que o meu olhar quer voar longe. Gostava de poder dizer-te tantas coisas... ouvir-te a rir. Sentir a tua emoção no calor da minha loucura. E descansar. Sabes, mãe, todos os filhos descansam junto das suas mães... Os dias correm entre o cinzento e a balbúrdia de cores, nos gritos de todos e mesmo assim sinto vazio. Há tanta gente a gritar, mãe. E eu também quero gritar. Mas não consigo. Não estás cá.

23 de março de 2014

aMaR-tE

O céu todo em cada magia
O sonho capaz no olhar
Sorrir-te no aconchego do dia
Amar-te é também respirar

O tempo todo em cada sussurro mais
O desejo mais que tanto
Querer-te quando vens e quando vais
Amar-te é ser nuvem e é ser manto

A vida toda em cada abraço
O abraço que é tudo e é vida
Ser-te caminho, paisagem e passo
Amar-te é a viagem mais querida

20 de março de 2014

eNcRuZiLhAdAdAtErNuRa

Pega-me na mão com o teu sorriso e leva-me. Sei para onde vamos. Quero deixar-me transportar pela encruzilhada da ternura acabada de abrir. Como um piscar de olho ou uma música quente. Desejo-te. Abertos um ao outro pelas marés do nosso leito sempre renovado. Pela encruzilhada da ternura. Os nossos corpos ganham asas de tempo e cor. Uma cor vermelha de energia apertada no nosso abraço. Uma cor branca cheia de todas as outras cores ancorada no nosso olhar. Que ama a cada sussurro. A cada grito. A cada tempo nosso. A cada praia ou gruta. Na encruzilhada da ternura onde estou. Contigo.

11 de março de 2014

h0jEeSeMpRe

Pelos céus de tão grande história
PelAs margens dos rios e da memória
Amanheço no teu corpo quente
Entre este azul e esta corrente

Pelos sorridentes olhares e meus
Pelas mãos de todos os cantos teus
Adormeço no regaço da vida
No mar eterno de uMa voz erguida!

Pelas verdes flores da nossa existência
Pela saudade de ser-te em foz e essência
Amo-te feliz, fonte do meu coração
Que te canta, em verso de emoção

10 de março de 2014

DeScAnSo

Não regresso ao cais da partida
Não grito mais uma dor
Levo comigo a minha vida
Entre o chegar e a despedida
Que me faz poeta e cantor

Não procuro o rio que corre 
Não me deixo cair mais
Serei gravidez no leito que morre
O verso e a canção que me socorre
De todos os cantos deste nosso cais

Não renego o passado por entre o olhar
Não sei de nada, não quero mais nada.
Poder finalmente sorrir e descansar
No toque profundo das vozes do mar
É tudo o que quero desta minha estrada

6 de março de 2014

cAnÇã0dEaMoR


Que da vida que a vida me deu
Este sorriso de vida em mim
A vida que corre na vida do amor meu
O amor meu da vida que se tece na vida assim
Por entre a magia mais nossa, mais querida.
Assim vais tu e eu na minha vida.

DeHoJeDeSeMpRe

Esta flor que nasce no vento Este sorriso que trago em mim Sabe-me melhor no momento Em que me acordas assim Este mar que s...