28 de abril de 2012

bRiLh0

Resta-me a voz de te chamar
O sangue que do tempo se alimenta
Minha voz bate forte o meu cantar
Aquece de sonho a alma sedenta

Fica-me no peito o sabor a nós
Do tanto que um dia se fez maré
Que se deita na inquietação da foz
No embalo em que tudo é

24 de abril de 2012

sEgUnDo

Se o segundo em que te sonhar
Me queima o sonho e me devora a mim
A minha alma afoga-se neste mar
Que é o meu jeito de te querer assim

Sigo em tempestade rua fora
Desejo parar e ir embora
Sorvo as lágrimas a cada hora
Que me separa de novo do abraço

Fervo o sangue despido à deriva
Enjoo a minha própria saliva
Nada me prende, nada me motiva
Arraso-me prisioneiro do cansaço

Não quero esse segundo nunca mais!
Que o meu corpo segue fraco
Adormece junto à saída do cais
E depois não sei se vou ou se atraco...

17 de abril de 2012

aMiM

Abre-me a solidão no teu abraço.Só um...Perco-me nas telas dos dias soltosOnde todos os voos se fundemPara me deixar preso e não ficar com nenhum.Abraça-me na lágrima que chora.Só uma vez...Rastejo na minha ausênciaSem destino nem saborQue da memória se guarda apenas o que não se fez...Rasga-me a vida que da morte levo tanto.Tempo de silêncios e janelas brancasOnde se pintam os sonhosEm versos que me cobrem como manto...Partirei no sentido inverso de mim?Vagabundo de sorriso perdidoGrito que se dá mesmo caladoPara depois correr num mar assim...Não me carregues. Ama-me. A mim.

eXiStE

Existe um lado que sorri
Dentro do meu coração
Tudo o que tenho e vivi
É esse canto permanente na minha mão
Um sussurro de amor gritado
Uma chaga também de sufoco amarrado
Às vezes um rio acorrentado
Um toque de bandolim libertado
Com que faço e desfaço a solidão...

Existe um lado que chora
Na palma do meu olhar
Qualquer tempo que teima em não ir embora
Esse eterno beijo de tanto amar
Um passo mais no leito amassado
As palavras em verso mais que suado
Que na minha pele nunca se deixa calado
Porque é esse o todo do meu outro lado:
Ser-te, saber-te, ter-te a cada respirar!

15 de abril de 2012

nAp0rTa

Passa por mim o vagabundo da cidade
Deixa no ar um cheiro a dor
Dizem-me que é crueldade
Perder a vida assim em cada corredor...

Volta por entre as gentes e demora
A sua ferida é apenas existir
O vagabundo sou eu a toda a hora
Mesmo quando não me consigo sentir...

Ouvem-se os cantos da alegria
Mas tudo resta na solidão
Quanto mais se entorna o dia
Mais se rompe a força do coração

Vai, vagabundo, grita falésias ao acaso
Pode ser que te chores finalmente
E depois conta as horas em atraso
Com que mataste o teu presente

Vai e segue a força das lágrimas tuas
Solta o teu nome nas paredes de ser
Depois regressa limpo e ama essas ruas
Que são a fonte do teu constante renascer

14 de abril de 2012

mEuViVeR

Que da minha boca nasce em flor
Pintada dos tons de te amar assim
Sei-te sorriso que desagua em mim
Como um rio que navega sem fim
Por entre os trilhos do nosso amor


Que do meu beijo se aqueça o coração
Cada vez mais como um mar
Que se faz ao areal de nos aconchegar
Na ternura que me dá o teu olhar
Quando me sussurra mais um verso desta paixão


Que de tudo se faça o segredo de tanto ser
O grito alegre que trago nos passos
Nos meus sonhos nus e descalços
Aberto aos frutos e aos abraços
Que te canto no fundo deste meu viver!

12 de abril de 2012

DiZ-mE

Diz-me dos trilhos desta viagem
Do futuro e das rosas bonitas
O meu peito sangra pelas noites aflitas
Deixando a morte viva à passagem...

Diz-me dos silêncios e da luz
Que por entre a minha pele também choram
Tempestades de flores que em mim moram
Forte abraço que nos sonhos me seduz...

Diz-me das curvas do leito que se faz mar
Sempre que os cheiros entregam em liberdade
Palavras, versos e beijos nesta verdade
Feita inquietação de te ter e de te amar...

7 de abril de 2012

oLaDoDeNóS

Sol que me acorda e me sorri
Na sua voz de veludo e paixão
Deixa-me abraçar-te nesta canção:
O lado de nós é mesmo aqui!

Corpo que me agarra e me chama
No seu dançar azul de sorriso aberto
Um toque de magia em futuro certo
O lado de nós é este fogo que ama!

Leito que me recolhe neste abraço nu
Na sua alegria que se solta assim
Flor maior deste nosso jardim
O lado de nós - eu e tu!

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...