22 de setembro de 2015

SeDuÇã0

Que da flor todo o mel em lábios húmidos
Que do prazer a grande e mágica noite
Que de mim o teu corpo...
Que de mim o teu corpo...
Que do prazer a grande e mágica noite
Que da flor todo o mel em lábios húmidos
Que da flor todo o mel em lábios húmidos
Que do prazer a grande e mágica noite
Que de mim o teu corpo...
Que de mim o teu corpo...
Que do prazer a grande e mágica noite
Que da flor todo o mel em lábios húmidos
Que da flor todo o mel em lábios húmidos
Que do prazer a grande e mágica noite
Que de mim o teu corpo...
Que de mim o teu corpo...
Que do prazer a grande e mágica noite
Que da flor todo o mel em lábios húmidos
Que da flor todo o mel em lábios húmidos
Que do prazer a grande e mágica noite
Que de mim o teu corpo...
Que de mim o teu corpo...
Que do prazer a grande e mágica noite
Que da flor todo o mel em lábios húmidos

21 de setembro de 2015

mIgRaDo

Serve o nome cravado na testa para entrar na grande cidade. Serve o cheiro podre e o ar desgraçado. Servem os bolsos rotos. Serve a barba selvagem. As unhas disformes. Serve o olhar cruel. Serve a mão pesada e rude. Serve até a voz assustadora. Servem os sonhos?

10 de setembro de 2015

rEs0lUçÃo

Um dia o Vagabundo resolveu adormecer e esquecer o tempo. Ficou-se pelo silêncio, pelo caos, pelo ramo, pela pedra. Nada mais lhe interessou que não fosse ficar. E porque ficando se deixou ficar encontrou a sua forma de estar.

1 de setembro de 2015

CuStA(15aGoSt0)

Custa estar. Custa a pergunta. A resposta. A nuvem que o vento revela. Custa cada palavra antiga. O som dos dentes e o olhar de sorriso único. Custa estar. Tanto. Que a saudade é uma gravidez eternamente moribunda. Moribunda eterna é gravidez na saudade. Tanto. Estar custa. No único sorriso de olhar e o som dos dentes. Antiga a palavra que custa. Cada. E o vento revela a nuvem. A resposta. A pergunta custa. Estar custa. Custa estar. Custa a pergunta. A resposta. A nuvem que o vento revela. Custa cada palavra antiga. O som dos dentes e o olhar de sorriso único. Custa estar. Tanto. Que a saudade é uma gravidez eternamente moribunda. Moribunda eterna é gravidez na saudade. Tanto. Estar custa. No único sorriso de olhar e o som dos dentes. Antiga a palavra que custa. Cada. E o vento revela a nuvem. A resposta. A pergunta custa. Estar custa.Custa estar. Custa a pergunta. A resposta. A nuvem que o vento revela. Custa cada palavra antiga. O som dos dentes e o olhar de sorriso único. Custa estar. Tanto. Que a saudade é uma gravidez eternamente moribunda. Moribunda eterna é gravidez na saudade. Tanto. Estar custa. No único sorriso de olhar e o som dos dentes. Antiga a palavra que custa. Cada. E o vento revela a nuvem. A resposta. A pergunta custa. Estar custa. Custa estar. Custa a pergunta. A resposta. A nuvem que o vento revela. Custa cada palavra antiga. O som dos dentes e o olhar de sorriso único. Custa estar. Tanto. Que a saudade é uma gravidez eternamente moribunda. Moribunda eterna é gravidez na saudade. Tanto. Estar custa. No único sorriso de olhar e o som dos dentes. Antiga a palavra que custa. Cada. E o vento revela a nuvem. A resposta. A pergunta custa. Estar custa. Custa estar. Custa a pergunta. A resposta. A nuvem que o vento revela. Custa cada palavra antiga. O som dos dentes e o olhar de sorriso único. Custa estar. Tanto. Que a saudade é uma gravidez eternamente moribunda. Moribunda eterna é gravidez na saudade. Tanto. Estar custa. No único sorriso de olhar e o som dos dentes. Antiga a palavra que custa. Cada. E o vento revela a nuvem. A resposta. A pergunta custa. Estar custa.

UmDiA

Um dia... Ao abrires a cama sentirás um frio estranho. Um vazio muito maior que o meu tamanho E nada sobrará a não ser passado... ...