26 de março de 2013

p0eMaDeAm0r

Quero uma janela aberta sobre o mar
O leito branco ao nosso vento
Sentir cada calor de um abraço lento
Que tem o embalo do mundo a cantar

Às vezes grito, outras, beijo de olhos fechados
Saber do tempo que se faz é um caminho de se caminhar
Soltem-se os sorrisos e os punhos cerrados
Construa-se uma janela aberta ao mar!

Teu corpo, manto colorido em pele de cetim
Envolvendo o meu olhar, o meu pensamento
Transformando o desejo que há em mim
No leito branco ao nosso vento

Meu sussurro, melodia de paixão e ternura
Um ninho doce, forte erguer em movimento
De um futuro que se beija e se procura
No calor de um abraço lento

Amo-te na corrente de estar contigo
Porque aqui é estar e amar
Minha apaixonada, meu sol e abrigo
Embalo do mundo a cantar! 

18 de março de 2013

TaLvEz

Talvez o mar
Rente à lágrima caída no entreabrir da alma
Talvez ficar
Longe da inquietação que grita a dor e a calma
Talvez o norte
A tempestade imensa dos corações cativos
Talvez a morte
Que segura o sangue que canta na pele dos vivos
Talvez a viagem
Rosto de sorriso aberto na direção certa
Talvez a margem
Nos rios da nossa mão, que afaga e aperta
Talvez o nada
No cansaço que fica em tudo o que vai
Talvez a estrada
Do pó das cinzas onde permanece e cai
Talvez o poeta
Que um dia nasceu na dança do amor
Talvez a baioneta
No carrasco de dentro que me fez cantor
Talvez, sim
Certezas existem na mentira do ar
Talvez o fim.
Para de novo poder recomeçar...

13 de março de 2013

mEuIrMã0p0eTa

O meu irmão poeta brilha na mão forte
Tem o passo certo, num chão que pisa e floresce
Pinta as cores do mar
Uma onda que no seu caminho do sul ao norte
Sabe de cor o verbo amar
Em semente que nos seus versos cresce

O meu irmão poeta de voz quente
Guarda no seu abraço os sonhos da vida
Na lágrima de ser assim
Um guardião fecundo de uma alma sempre ardente
Aroma perfeito de jardim
Que teima em ser janela de entrada e de saída

11 de março de 2013

mArIaMeL

Que o mar te abrace à chegada
Nas suas águas carregadas de amor e paz
Que tudo o que tragas em pele abençoada
Se faça mel doce em pura madrugada
Perfume de sorrir cada estrada
Em passos onde tudo se refaz!

Vem cobrir o mundo do teu saber
Feito da paixão em jardim que se planta
Que em tudo o que tragas e em tudo o que se quer
 Se erga mais um punho combatente de mulher
Horizonte da ternura a refazer
O ciclo natural que de novo se canta!

7 de março de 2013

p0dE

Pode um ventre ser rio e correr
Encher o mundo da água pura
Beijo de uma saudade que não sabe morrer
E se deixa abraçar e viver
No abraço mais forte da ternura

Pode uma mãe ser esse mar
Amar de rochedo junto às ondas altivas
Mulher e chama de nos agarrar
Em fogo eterno sem se cansar
Junto ao meu peito em lágrimas cativas

Podes tu abrir ao futuro em cor
Feita bailarina de um passo ardente
Deixar cantar a saudade e o amor
Amparar-me os segredos de cada dor
E continuar a construir-me o presente


4 de março de 2013

cAnT0

Forte o silêncio que grito no aconchego dos poetas. Sinto cada pele das minhas palavras como lágrimas de atirar às paredes como uma pintura que fica. Sonho. Um dia saberei dos abraços e dos abandonos? Serei eu a ave de me sobrevoar as mãos? Essas que escrevem sobre o meu peito as tatuagens dos dias.

DeHoJeDeSeMpRe

Esta flor que nasce no vento Este sorriso que trago em mim Sabe-me melhor no momento Em que me acordas assim Este mar que s...