9 de setembro de 2012

aFoGaMeNt0

Arrancada da pele marinheira
A vida afoga-se vazia
E a maré primeira
Cruel azia
Enche os sonhos de nada
Nem se faz à estrada
Fica no silêncio da inquietação
Como um jardim sem chão
Onde os pássaros vomitam a dor
Que um dia se chamou... Amor.

1 comentário:

Maria disse...

Neste mar nada se afoga. Apenas adormece. Tempo.ra.ria.mente.

;)

ChEgAdA

Falas-me das certezas do voo Do seguro porto da viagem Dos sorrisos e das lágrimas à passagem E de todas as pedras da caminhada. Ma...