17 de setembro de 2012

cItAçÃo

As palavras que perdem o sentido no vento são como pequenas pétalas de fino papel: tremendamente belas, parecem eternas, mas acabam por morrer como uma borboleta.

1 comentário:

Maria disse...

Podem as palavras um dia renascer? Pode o vento trazer de novo a ternura?
Pode a borboleta deixar ovos que implodem com o tempo e no final de todo o processo surgir a borboleta de asas azuis que se confunde com o céu?
Podes tu ainda voar no calor de um abraço?
E.terna.mente...

m0rAsEmMiM

Moras na solidão mas os teus olhos são de mar Moras na solidão mas o teu bairro é a tua voz Moras na solidão mas o teu corpo é de bail...