15 de setembro de 2014

EmTiAoMoDoPoPuLaR

Trago uma flor no peito
E no peito sou feito de ti.
Olho para a frente da vida
E na vida há tanto que já perdi.

Canto o amor das esquinas
E nas esquinas escrevo a eito.
Em tudo o que tens e me fascinas
Trago uma flor no peito.

Choro memórias e mortes
E nas mortes não adormeci.
Porque vou cantando as minhas sortes
E no peito sou feito de ti.

Danço os caminhos também a rir
E a rir vou tendo a conta medida
Do tanto que soube existir
Olho para a frente da vida.

Vou de frente ao medo e à solidão
Por tudo o que já sofri
Quero-me entre o fogo e o clarão
E na vida há tanto que perdi.

1 comentário:

Maria disse...

E na vida há TANTO que ganhaste...

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...