2 de abril de 2014

CrUeL

Pobre vagabundo, que continuas a vaguear sem vagar devagar pela vida...
Pobre mulher, que te escondes por trás dos teus sonhos...
Pobre homem, que te distrais nos teus passos...
Pobre criança, que nasceste.

2 comentários:

Parapeito disse...

triste e sem alento...
é preciso acreditar que vale a pena ...

Maria disse...

Não gosto muito deste........
:(

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...