26 de setembro de 2016

QuE!

Que do tempo a sua canção em euforia me faça saltar! Que de ti, amor, a saudade me faça cantar. Que do mundo um rasgo de energia me faça sorrir. Que de ti, amor, o desejo me saiba cobrir. Que dos versos, eu continue o meu canto. Que de ti, amor, me emocione cada novo sorriso de espanto. Que da vida, de mim, todo o sentido em comunhão. Que de ti, amor, esta riqueza mágica no coração. Escrever-te-ia sem parar!

1 comentário:

Maria disse...

Tens uma pontaria certeira para escreveres em dias que me são.
Desafio-te para acertares num dia de Outubro que também me é.

Beijo.

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...