10 de abril de 2017

MoMeNt0sQuEoTeMp0tEcE

Dos momentos que o tempo tece,
Em labirintos dentro do nosso peito,
Há sempre um sol que nos aquece
Queimando o sangue já desfeito...

Há o passado, o futuro e o vento.
As tempestades de sentir e estar.
Há a inquietação no nosso pensamento
E loucuras que se fazem ao mar.

Há leitos e histórias de tanto haver.
Fontes e rios que correm sem cessar.
Há a revolução que teima em nascer
E loucuras que se fazem ao mar.

Há os perigos que o amor engrandece.
Escritos em cada tela do teu pintar.
São assim os momentos que o tempo tece
Nas loucuras que se fazem ao mar...

Sem comentários:

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...