6 de agosto de 2017

c0iSaS, c0iSaS e MaIs CoIsAs

Coisas, coisas e mais coisas. O mundo está cheio de coisas e o Homem carregado delas. E do mundo também. Ficamos neste peso das coisas, coisas e mais coisas e andamos iludidos da nossa emoção. Pelas coisas? Claro! Tantas coisas, coisas e mais coisas são o melhor que há! Nada é não ter nada. Uma coisa é sempre necessária para nos podermos debruçar sobre alguma coisa, coisa e mais coisa e estarmos ocupados e nos sentirmos úteis. Uma porra, essas coisas! Então e as pessoas? Não são coisas. São pessoas. Que sofrem e sentem. Que precisam de cuidado - como as coisas, coisas e mais coisas - e que até são capazes de reclamar. Sim, porque as coisas, coisas e mais coisas não reclamam... Quer dizer, até reclamam. Precisam de se manter senão estragam-se. Então e as pessoas e os sentimentos? Não precisam também de se manter senão estragam-se? Claro que sim. A diferença é que tratar das coisas é algo que nos distrai e nos mantém ocupados. Com as coisas, coisas e mais coisas. E assim o tempo vai passando. E as pessoas? As pessoas falam, pedem, exigem, querem, protestam... Gostava de ser uma coisa.

1 comentário:

Maria disse...

Não gostavas nada.
Tu queres ser exactamente o que tu és e como és. E queres mais, mais e mais. Sempre mais!
As coisas são rapidamente esquecidas, não precisamos delas. As pessoas não!
O vinho de ontem não era mau de todo....
Abraço-te.

LeGeNdA

Pac-man e suas princesas