7 de outubro de 2012

oMaR

Regresso na maré encantada. Maresia na pele profunda. Amores que morrem na vida moribunda. Saudades vivas em ondas na madrugada. Poeta, eu, solto entre as chagas e o vazio. Sinto arder este tempo cruel e frio E por isso aconchego as lágrimas do meu sofrer Na imensidão do mar... Só ele as sabe ter!

1 comentário:

Maria disse...

Traz a maré encantada contido. Dentro de ti. Para poderes fechar os olhos e senti-la sempre que te apetecer. Porque só o mar te sabe o ser!

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...