16 de maio de 2015

sAnGuEeViDa

Das flores do tempo, um sorriso
Das histórias todas, a vida
Eu e nós, num abraço conciso
Neste sangue onde ninguém se duvida

Cada passo, uma gargalhada mais
Mesmo em lágrima surgida
Entre o hoje, se vens ou se vais
E nós, o sangue da minha vida

Cada ausência, um aqui estar
Eterno regresso, em flor colhida
Deste feliz abraço, um dançar
Brilho e sangue da minha vida

Não me perco na imensidão
De todas as dores ou desventuras
A minha vida, sangue no teu coração
O meu peito, fonte de amizades puras

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...