5 de maio de 2015

sAuDaDeMaRiA

Belas as flores que nos cobrem este fado
Altas as vozes dentro dos dias quentes
Regresso sempre aos versos presentes
Sempre que me deixo adormecer no passado...

Cheirosas e únicas, no encalço de um vento puro
Como quem grita forte o tempo a passar
Regresso sempre na embriaguez de mim e volto a chorar...
Quando me perco nos labirintos do sonho e do futuro

Hei-de agarrar o fio daquela história de amor
Onde o beijo é o fruto mais doce da eternidade
Regressarei para te ouvir sussurrar a alegria e a aMizade
 A cada passo onde me invento novamente poeta e cantor...

Sei-te, soube-te e quem sAbe um dia te sabeRei
Já cantei o teu nome vezes sem conta, em enorme comunhão
Por Isso regresso-me nas ausências do teu coração
CArregado deste abraço que tanto abracei...

1 comentário:

Maria disse...

Nunca estás ausente do meu coração. Ainda que um mar enorme nos separe.
Nunca o meu coração está ausente de ti. Porque o abraço nosso está sempre presente.

E perco-me, mais uma vez, carregada de tanto...

m0rAsEmMiM

Moras na solidão mas os teus olhos são de mar Moras na solidão mas o teu bairro é a tua voz Moras na solidão mas o teu corpo é de bail...