4 de maio de 2015

LáDoCiMoDeMiM

Lá no cimo de mim
Vejo
O poema e o amor
A maré e o chão
Os escondidos amantes.
Lá no cimo de mim
Já nada é como dantes.

Lá no cimo de mim
Vejo
Outra noite e o passo
A relva e a nuvem
As mentiras verdadeiras.
Lá no cimo de mim
Já larguei das canseiras.

Lá no cimo de mim
Vejo
Cada sonho, o vento!
O desejo e a cachaça
As labirínticas falésias e o escudo.
Lá no cimo de mim
Já perdi. Tudo.

1 comentário:

M(im) disse...

Lá no cimo, tu
Lá, tu, no cimo
alto de altura
tonto de tontura
no cimo, tu, lá
e eu aqui
só loucura...

Beijo poeta!

m0rAsEmMiM

Moras na solidão mas os teus olhos são de mar Moras na solidão mas o teu bairro é a tua voz Moras na solidão mas o teu corpo é de bail...