17 de maio de 2012

v0lTaRaNaScEr

Dizer-te amor na respiração
Cantar-te sem segredo na palma da minha mão
O meu corpo treme sem saber
Porque custa voltar a nascer...

Esperar-te na saudade que teima
Querer-te neste fogo que queima
O medo, esse, não se consegue perder
Só porque custa voltar a nascer...

Beijar-te num abraço nosso aconchegado
Ser-te tudo e tanto sem nunca estar calado
Pelo tempo eterno a acontecer
Quando me fizeste voltar a nascer...

1 comentário:

Maria disse...

Olho, leio, e sorrio-te...

m0rAsEmMiM

Moras na solidão mas os teus olhos são de mar Moras na solidão mas o teu bairro é a tua voz Moras na solidão mas o teu corpo é de bail...