22 de dezembro de 2012

PeLoArEaLd0sSoNh0s

Rasgão nos silêncios das ondas
Sorriso deitado no areal
Não me digas nada, não me respondas
Que o penedo é um grito fatal

Aperta as cordas do teu cantar
Na força da minha mão
E navega os meus sonhos pelo mar
Como quem nina e beija uma canção

Aperta o regaço quente do amor
Pelas pegadas que ficam caídas 
Só assim sou poeta e cantor
No entrelaçar frágil das nossas vidas...

1 comentário:

Maria disse...

Bons dias alegrias!!!!!!!!!

;)

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...