17 de novembro de 2013

PoDeSeR

Pode ser um pedaço
Pode ser uma estrela
Uma estrada de aço
O aroma da flor mais bela

Pode ser uma cidade
Pode ser uma inquietação
O som eterno da saudade
O toque suave da tua mão

Pode ser um beijo
Pode ser raiva apenas
Mais do que sinto ou vejo
Versos que transbordam dos poemas

Pode ser a morte
Pode ser o amor
Qualquer dia tido em sorte
O ronco deixado ao meu redor

Pode não ser mais nada
Pode também ser tudo
Serei SEMPRE aberto à madrugada
Por entre o que tenho e o que acudo!

1 comentário:

Maria disse...

sempre aberto à madrugada...
é tão bonito!!!

m0rAsEmMiM

Moras na solidão mas os teus olhos são de mar Moras na solidão mas o teu bairro é a tua voz Moras na solidão mas o teu corpo é de bail...