5 de outubro de 2011

jÁbAsTaTuDo

Não digas nada. Deixa que o silêncio traga a noite e a noite me devolva o rio. As minhas lágrimas são fontes desta minha inquietude. Nas margens de todos os sonhos. No sussurro da paixão. Na intranquila maré do meu grito. Não digas nada. Por favor. O dia tem demasiada luz... Talvez encontre um tempo vazio onde consiga finalmente adormecer. Ou simplesmente ficar para sempre. Já basta tudo!

3 comentários:

Maria disse...

Abraço-te. Em silêncio.

Filoxera disse...

A vida não é uma reta.
Tudo muda. Não sabemos quando.
(Desculpa. Tive de dizer. Telepaticamente acho que não chegaria aí...).
Um abraço.

zmsantos disse...

e o Tempo tudo desvanecerá...
Abraço.

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...