27 de outubro de 2011

mAnIfEsTo

Se respiro a eternidade nos sonhos que tenho
Se me visto de mim, deste ou do outro lado
Nunca me deixarei a dormir sobre a terra a sorrir
Nos olhos de um punho que se quer calado!
Vagabundeando serei grito, fonte e tudo o mais
E cantando ouviremos os passos de tanto querer
Que não se iludam os revolucionários!
O meu sangue é estar sempre a nascer!

2 comentários:

Maria disse...

Subscrevo este Manifesto.
Estarei a teu lado.
Pronta.
Presente.
Para o que for necessário...

Sabes que renasço no sangue teu...

Ailime disse...

Amigo,
Deste lado do Atlântico o meu pulsar estará presente!
Sempre.
Um beijinho.
Ailime

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...