23 de janeiro de 2013

ArDeR

Nasce o sol no abraço da folhagem
Que me penetra no sossego do dia
Mais que um sonho, uma viagem
Chego-me a ti, e tudo se anuncia
Os sorrisos aconchegados no leito
Nasce o sol e arde-me o amor no peito!

Sei da luz que na casa entra e não se cala
A voz da ternura em poemas de amor
Salto na praia, perto da onda que resvala
Que pinta a rocha de uma só cor
Aquela que tem aroma que brota em paixão
Sei da luz e arde-me o amor no coração!

Sei do quente que a minha pele chama
Um jardim aberto ao mar desta vida
Que se aperta em cada voz que me reclama
Que chora em cada dor de despedida
Volto-me em nós de agarrar todo este céu
Sei do quente e ardo-me eu!


1 comentário:

Maria disse...

Entro aqui numa rapidinha só para te dizer que saio já com medo de ficar chamuscada com tanto arder...

;)

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...