9 de abril de 2013

SeI

Sei do mar e dos seus passos
Dos versos e cansaços
Sei do olhar que me pinta os dias
Por entre marés calmas e ventanias...

Sei da relva e dos cheiros bons
Das saudades e dos seus sons
Sei do corpo que me chama
Nos silêncios da dor de quem ainda ama...

Sei da nuvem e do rio corrente
Dos gritos nos cravos de toda a gente
Sei da mão que queima ao passar
Junto às histórias de cada acordar...

Sei de tanto e talvez não saiba nada
Inquietações e ternuras pela madrugada
Sei de mim na procura de ti
No tempo por inventar, de cada vez que te perdi... 

3 comentários:

Maria disse...

No teu poema existe uma canção
Feita de cheiros da tua mão
De sabores doces do coração
Talvez em perfeita solidão
No teu poema existe uma chama
Que arde com a força de quem ama
Se alimenta de água urze e lama
Talvez durma contigo na cama
No teu poema existe o amor
Pleno de alegria e de dor
Rebentando cada dia em cada flor
Talvez num canteiro cheio de cor.

OUTONO disse...

...sei de um poema, que escreveste com a liberdade da tua alma...

Abraço!

Uma canção pra você viver mais disse...

Tens a chave e sabes dos segredos por trás da porta...

[do coração]

Beijo na alma,
Sam.

DeHoJeDeSeMpRe

Esta flor que nasce no vento Este sorriso que trago em mim Sabe-me melhor no momento Em que me acordas assim Este mar que s...