22 de janeiro de 2014

fAd0mEn0r

Espero o amor no silêncio dos dias
Cansada, choro um presente assim
Cheio de nada e de mãos vazias
Vazia de tudo, de todos e de mim

Em raiva e desilusão
Tristeza e fado menor
Calo meu pobre coração
Que conheço já de cor

Espero em frente ao espelho
Numa história que me cai no colo
E num passo que se faz velho
Sei que morrerei sem consolo

Em pobre viagem só
Lágrima que as nuvens carregam
A vida é isto: terra, fruto e pó
Onde os nossos sonhos navegam 

Sem comentários:

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...