26 de março de 2015

CoMpReEnSã0

Quando a andorinha encontra o pardal pergunta-lhe porque razão deixou de cantar tanto. O eterno cantor, de lágrima no peito, responde que a vida nem sempre o deixa livre. Então a andorinha disse que adoraria ter uma casa bonita.

1 comentário:

Maria disse...

Eu acho que a casa da andorinha é linda, até porque tem várias, muda de casa conforme a estação do ano.
Neste caso o pardal é que é muito exigente, choramingas, e o conceito de 'ser livre' é muito discutível.
Também acho que isto é mais uma conversa política do que poética. E como tal tem de ser falada à volta de uma mesa, com um pãozinho (pãopão), um quejito e chorice. E o tinto, claro!
Abraço-te, pardal mais-que-liberto!

ChEgAdA

Falas-me das certezas do voo Do seguro porto da viagem Dos sorrisos e das lágrimas à passagem E de todas as pedras da caminhada. Ma...