10 de março de 2015

mEuJaRdIm

Abre o meu sorriso em silêncio. Acorda estes olhos perdidos e turvos de vazios. Ancora o meu coração junto ao teu respirar e adormece-me os pés, demasiadamente frios...
Aperta-me e afaga-me todos os versos de amor. Pode ser numa respiração eterna e funda? Assim cada passo meu será maior que a minha dor moribunda...
Volta. Atinge-me a liberdade e o ser! Liberta-me das correntes de mim. Para que todos os dias me possa enconstar a ti e chamar-te "meu jardim"...

Sem comentários:

rEgReSs0a2012...

As palav r as que perdem o sent i do no vento são como pequenas pétalas de fino papel: tremendamente belas, parecem e t ernas, mas acabam ...