2 de janeiro de 2017

oUsAdIaDoVuLcÃo

Será na ousadia do vulcão
Na embriagada loucura da semente
Será um passo meu feito canção
Um caos de terra, fértil quente.

Será no voo rasgante do colibri
No tempo parado a tremer
Será um passo meu longe daqui
Um sopro de sangue, corpo a ferver.

Será no cume de uma pele cheirosa
No mar aberto em mim lançado
Será um passo meu, flor e prosa
Um poema mais, grito entrelaçado.

Serás tu, serei eu, seremos nós!
A vontade viva da plantação
Será um passo corrente em nascente e foz
Assim tudo, na ousadia do vulcão...

Sem comentários:

rEgReSs0a2012...

As palav r as que perdem o sent i do no vento são como pequenas pétalas de fino papel: tremendamente belas, parecem e t ernas, mas acabam ...