26 de janeiro de 2017

hEnRiQuE

Que a vida se fez e se faz
Em sementes de amor e respiração
E eis, que o príncipe rapaz
Está seguro, forte e alegre no seu chão

Destes todos e destes tantos
Venham assim em meu olhar
Que em jardins de mares e espantos
Sejas da terra um eterno estar

Meu filho, grande e do tempo de mim
Sorriso aberto na história toda por fazer
E a vida que se fez, se faz e não tem fim
Há(s)-de ser sempre o meu amanhecer!

1 comentário:

Maria disse...

Lindo poema para os 30 anos do teu primogénito.
Abraço.

m0rAsEmMiM

Moras na solidão mas os teus olhos são de mar Moras na solidão mas o teu bairro é a tua voz Moras na solidão mas o teu corpo é de bail...