7 de dezembro de 2008

aMiNhAcIdAdE

Chove no meu peito uma cidade

Um rio de gentes e amores e pesadelos

Manta feita de guerra e novelos

Onde a escuridão sorri à claridade
.
O meu lugar é outro e nenhum

Talvez um abismo feito mágoa

Uma maré que se desfaz na água

Um caminho de morte e jejum
.
Vagueio solitário, rente e vagabundo


Perdido de mim, de cada pedaço da multidão

A minha cidade é uma luta cheia da dor do mundo

Que se esquece de caminhar com o coração
.
Fico no fado de mais um dia sem cantar?


No labirinto de cada curva de mim...

Na minha cidade só sei morrer e estar

Recomeçar-me vezes sem conta no fim...












8 comentários:

Maria disse...

O teu lugar é Todos!
E a tua cidade é esta e a outra e ainda a Primeira!
O dia esteve cinzento, eu sei.
Mas o teu peito é vermelho!

Um beijo, Pedro

mariam disse...

Pedro,

poema que dá que pensar... os lugares, o peito tiritando de molhado, as marés, cheias, de tanto que não se diz e de anseios e de dor também... e as vazas, de tanto que não se diz e de sentido ... fala do fado e do labiríntico que podemos ser...
e... morrer e nascer é o que fazemos todos-os-dias, "cantou-o" muito bem Cecília Meireles e eu o penso também ...

bom feriado
um sorriso :)
mariam

Maresia disse...

Recomeçar... Sempre!

Som do Silêncio disse...

Gostei de te ler mais uma vez!

Bjs,
Som

tufa tau disse...

regresso a um local onde fui feliz. e dizem que não se deve! esta cidade não é minha. sinto-a minha! embora o meu lugar seja um qualquer lugar, é aqui que me sinto feliz nos momentos doces. é aqui que deixo a maioria das minhas tristezas. na minha cidade, na minha casa, no meu quarto... no meu lugar. vai ter-me enquanto me quiser.


um abraço, pedro

Apenas eu disse...

O teu Lugar é no Mundo :) é onde está a Vida.
E onde os sorrisos e as canções se mostram.

O teu Peito é Azul...
(desculpa Maria)...
Azul cor do nosso PORTO!!!!

Beijos Pedro

as velas ardem ate ao fim disse...

De todos!

um bjo

gabriela rocha martins disse...

um deus menor tentou reduziu a nada a memória...

...mas o POETA [re]dimiu.a.....

.
.
.
.
.um beijo

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...