30 de dezembro de 2008


Será no segundo logo após a morte anunciada
Que se fará luz dentro do teu peito
Assim, cheiroso desse teu jeito
Nunca mais ouvirás a minha voz cansada...


Saberás pedir-me um novo regresso
Entre a ternura e o perdão?
Qual dor maior que o bater do coração
Sem cessar, nem mesmo quando assim to peço...


Ficaremos separados num eterno abraço
Desses que duram só aquele segundo
Onde de repente somos donos do mundo
E perdemos a noção do cansaço...


Irmão ou amante, requiem da nossa memória
Perto de cada momento, de cada liberdade
No rasgo dos poetas das misérias da cidade
Perdidos entre o valor do olhar e o tempo da história...

Palavras soltas, fomes ardentes e acesas
Gritos de raiva e solidão em sobressalto
Desfaço-me demasiado neste empedrado asfalto
Inquietante e só, predador em busca das presas...


Sem cessar, sem tremer, sem parar sequer para ver
Sou-me inteiro mesmo na traição e na mentira
Porque mesmo que alguma bala te fira
Hás-de levantar-te sempre, para de novo renascer...


Bebe! Atira-te à vida deste segundo tão breve e duro
Fazes falta, sim. Nas curvas que da morte se separam
Como flechas enfeitadas que se apontaram
Ao centro de nós, para agarrar o fumo do futuro...


Ergo-te a taça e a minha vida inteira
Sem rugas, numa canção de roda a rir
Obrigado, irmão, por me fazeres existir
Nesta falta que me fazes que é minha bandeira...




Aos meus irmãos que se foram e aos que ainda cá estão. Nunca é demais beber mais um! Parabéns.

12 comentários:

Paula Raposo disse...

SUBLIME!!! Muitos beijos.

Maria disse...

Este poema és TU!
Não vale a pena estar aqui a inventar palavras para te comentar. Porque estas palavras têm-te dentro.

E porque nunca é demais beber mais um, Parabéns!

Um beijo grande, Pedro

mariam disse...

Pedro,

um poema soberbo! ~~ Divino ~~

um FANTÁSTICO 2009! te desejo

um grande abraço e o meu sorriso :)
mariam

Maria P. disse...

Nunca é demais beber mais um!

Feliz Ano Novo para ti, beijinho*

dulce disse...

Nunca é demais!
Bebamos mais um, por todos nós!!

Beijos

Dulce

Apenas eu disse...

Pedro, segundo a segundo se faz uma vida.

Vou erguer uma taça, porque nunca é demais Amigo.

Beijo meu

BlueVelvet disse...

Venho deixar-te os meus votos de um FELIZ ANO NOVO.
Que nunca seja tarde demais.
Beijinhos

Lídia disse...

... para as pessoas especiais. Erguer a nossa vida... sim!

Bárbara disse...

ergo a minha taça, as rugas que inda não tenho, as cançoes que me fazem sorrir ou chorar a vos irmao de minha alma.parabens pelo clarão das suas palavras!!!!

tulipa disse...

Olá Pedro

Gostei particularmente destes versos:
Ficaremos separados num eterno abraço
Desses que duram só aquele segundo
Onde de repente somos donos do mundo
E perdemos a noção do cansaço...

Que bom receber um abraço apertado e sentido, de quando em vez, há muita falta de abraços e toques.

Já agora, peço-te que quando puderes, não tem de ser já hoje, leias o meu último post com o título "Para terminar 2008" e vejas como fui maltratada no meu local de trabalho.
Gostaria de ler a tua opinião acerca do que relato.

Aproveito e deixo também os meus votos de um feliz ano novo.

as velas ardem ate ao fim disse...

Desejo-te tempo, tempo para a vida.
Desejo-te tudo o que tu quiseres!

um bjo e Bom Ano!

isabel disse...

Um 2009 cheio de palavras fortes e apaziguadoras. Que acompanhem a música da vida!

Um beijo grande, Pedro!

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...