3 de agosto de 2009

... -mE



Verso-me por entre ventos e tempestades



Pedaços de mim entre mentiras e verdades



Histórias sonhadas, realidades



Por onde passam os labirintos da nossa alma



Verso-me assim à solta, sem dó nem calma...



.
Canto-me por entre silêncios e gritos



Passos de onda forte e aflitos



Roucos ou mudos, interditos



Por onde cada maré se desfaz



Canto-me assim à solta, e de tudo sou capaz...



.
Perco-me por entre os rumos e a embriaguez



Areais do peito que sempre amou e se desfez



Coleira em algemas carregadas de porquês



Por onde tudo parte e tudo regressa



Perco-me assim à solta, sem destino e sem pressa...



13 comentários:

Maria disse...

Verso-te nas palavras que brotam da fonte
Por onde me passeio além no verde monte
Canto-te com a voz que me sai em grito
De te saber assim, amante vagabundo aflito
Perco-te por entre os dedos como areia do mar
E sei de toda a saudade e ternura do teu olhar...

Um beijo, Pedro
(E eu perco-me nesta fotografia...)

Princesa disse...

Belo poema acompanhado de uma imagem linda

"Quando as coisas não acontecem
do jeito que a gente quer, é porque
vão acontecer melhor do que a
gente pensa."

Beijos.

prAia em Mim disse...

já sabes qual a estrofe que mais gostei...sim, essa mesma - canto-me....porque senti a praia em ti :)
bj meu

cristal disse...

Canto-me e encanto-me...
Perco-me e encontro-me...nos silêncios e nos gritos,nas tempestades,nos ventos...

Belíssimo, Pedro

Abraço
e
Boa semana

Lídia Borges disse...

"Canto-me assim à solta, e de tudo sou capaz..."

E de tudo é capaz, na arte da escrita, pela justeza na aplicação das palavras, pela harmonia quase tocável dos textos...

Um beijo

as velas ardem ate ao fim disse...

Boas fugas!

bjo

Apenas eu disse...

"por onde tudo parte e tudo regressa" e nesse entretanto vives!

Um grande beijinho e aquele abraço.

maré disse...

viver
na palavra mais densa
como folha presa ao vento.
e a maré vai e a maré vem
na ode dos aflitos.


.

um beijo Pedro

Putty Cat disse...

...e continuo a desfolhar o teu livro, assim, à sorte... tantas e tantas vezes.

ausenda disse...

Perdida sou...lendo-te!

Soberbo poema!

Beijo

... a cada instante ... disse...

E sabe tão bem ser assim livre para me perder...
Parabéns!

BlueShell disse...

Que o verso e o Canto jamais deixem de exixtir...e deixa-te perder....se pendendo-te te achares em Felicidade!
Um Abraço de uma concha das serras e montanhas...

BlueShell

Filoxera disse...

"Coleira em algemas carregadas de porquês"- como te compreendo!. Só nunca terei esta capacidade poética...
Um beijo.

LeGeNdA

Pac-man e suas princesas