9 de janeiro de 2011

rEvIsItAçÃo


Será que no vento cabem os nossos gritos?
Será que se aconchegam os nossos sonhos?
Os nossos medos medonhos?
Amores aflitos?
Será que as flores carregam o nosso perfume?
Será que se colorem os nossos cantos?
Os nossos desmaios em queixume?
Dores e espantos?

Será que existimos realmente...
.
.
.
.
.
.

21 de dezembro de 2006

2 comentários:

Maria disse...

Será que ainda vou a tempo de te dar o abraço que não te dei ontem?
Será que ainda sentes o calor do abraço que te dei ontem...

Apenas eu disse...

Ás vezes fico acordada de OLHOS FECHADOS que é para poder sonhar para dentro...

cqea

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...