2 de janeiro de 2011

oReGrEsSo


Que as pedras dos caminhos se pintam à frente do nosso olhar. O cheiro da terra ao som dos passos que temos ainda tantos. Palavras que de dentro, lavas de ternura, emergem só para nos aquecer os momentos sempre únicos. O passado em torno dos silêncios dos riachos. O presente que brilha do fundo dos teus olhos. Sorriso de história. A vida é esta corrente que nos uniu desde o princípio. Por isso o futuro, meu irmão, segue sempre de mão dada connosco. Nos pés que molhamos a cada nova canção; a cada poema respirado por entre as memórias; a cada recomeço. Que este dia marque o regresso do que nunca partiu!

1 comentário:

Maria disse...

Reencontro. Apaziguamento. Saudade.
Talvez três palavras que precisamos entender e aprofundar neste início de ano. Por mero acaso.

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...