13 de janeiro de 2015

MaNhÃ

Parto no encalço de um sonho qualquer
Pode ser um grito, um toque de mulher
Ou mesmo a forte passagem pela vida.
O sonho é sempre uma chegada e uma despedida...

Canto no acordar do meu leito quente
Pode ser no sorriso mais fértil e urgente
Ou mesmo o sangue do meu corpo em ti.
O meu leito é a fonte onde já me perdi...

Deixo o corpo liberto e solto e vigilante
Pode ser a respiração que me faz ir adiante
Ou mesmo a marcha pela profunda liberdade.
 O corpo liberto é um rio em pura verdade...


Sem comentários:

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...