15 de março de 2012

aChEgAdA

Chego aqui, a este pequeno lugar
Sorvo os minutos de um tempo que já passou
Levo alto os pedaços do meu caminhar
Talvez sem saber quem fui ou quem sou

Passo e trespasso a verdade em mim
Feito choque e grito de onda a rebentar
Que vai e vem e me afasta assim
De tudo o que não sei deste pequeno lugar

Sirvo os sonhos num futuro vazio
Como quem descreve os trilhos por onde não vou
E rente a um toque, uma imagem, um arrepio
Sorvo os minutos de um tempo que já passou


Serei dono do destino ou da alma minha
Que se canta nos labirintos do respirar?
Desfaço tudo o que tenho, tudo o que tinha
Levo alto os pedaços do meu caminhar

Tudo é tudo sem qualquer perdão
Tudo mesmo, que aqui se refez e aqui se gravou
Nada mais sobra, nem liberdade nem prisão
Talvez sem saber quem fui ou quem sou


1 comentário:

... disse...

A vida é um mar... e as ondas ás vezes rebentam, de seguida acalmam e voltam e Tu? Tu és um poeta.
beijo Pedro

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...