6 de março de 2012

LeVa.Me

Leva-me ao céu num silêncio apenas
Canta o sangue do teu rio
Existem no caminho flores amenas
Que sopram beijos ao arrepio

Leva-me na peugada do destino
No abraço dos poemas fortes e embriagados
E eu, na solidão de um passo sem tino
Sinto os meus olhos turvos e cansados

Leva-me sem me dizer dos carris
Onde adormeço cada segundo dos sonhos meus
Porque em ti faço-me menino solto e feliz
Que brinca e barafusta pelos sorrisos teus

1 comentário:

Maria disse...

Pois fazes. Menino. E sorrio-te agora, a uma hora em que todos os meninos já dormem.
Imagino-os a sonhar com bolas e flores no teu jardim de tantos amores...

Abraço-te tanto...

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...