26 de junho de 2015

SuSsUrRo

O que faço se a saudade me devora? Se me consome, volta, vai embora, regressa, de repente ou com pressa, não passa, desgraça que é esta dor de tanto calor a escorrer e este querer às vezes pesado de um lado e do outro lado de mim que não existe fim quando assim se ama e por isso é tamanho o desejo que chama e te diz, forte, baixinho e, bem lá no fundo (acredita), feliz, no sussurro mais antigo: não pares de sorrir e vem fazer amor comigo.

1 comentário:

Ines disse...

Este blog, devia ter um botão para colocar gosto! :)

ChEgAdA

Falas-me das certezas do voo Do seguro porto da viagem Dos sorrisos e das lágrimas à passagem E de todas as pedras da caminhada. Ma...