22 de maio de 2009

vErSoSePr0cIsSã0



Se dos passos soubesse o cheiro


Se dos caminhos a inquietação


Trazia-me o mundo todo por inteiro


Pintado na palma da minha mão


.
Se dos versos fosse prisioneiro


De janelas abertas em canção


Cantava-te o tempo, ao sabor do guerreiro


Que da guerra se salva em dor e paixão


.
Se da mentira quisesse arder primeiro


Em imagem de flores e procissão


Talvez morresse outra vez no fogareiro


Do eterno bater do coração

8 comentários:

Ana disse...

Das palavras que ardem no caminho da poesia.

Maria disse...

Se do cheiro soubesse os passos
e da inquietação o caminho
dar-te-ia um mundo de abraços
para que nunca ficasses sozinho

Se o poema de versos feito
te enchesse em pleno o coração
e ficasses da paixão e dor refeito
talvez por fim cantasses a canção

Um beijo, Pedro

mariam disse...

Pedro,

são as eternas 'guerras' do coração!

lindo! este poema... :)

deixo um braçado de giestas
um abraço e o meu sorriso :)
mariam

Papoila Sonhadora disse...

Muito bonito.
Um bjinho,

mariab disse...

ardem as tuas palavras. de vida. de paixão.
beijo

Apenas eu disse...

Se dos passos soubesses tudo
dos caminhos a direcção
talvez não houvesse estas palavras que betem no eterno do nosso coração...

beijo meu
Pedro

Professorinha disse...

Que o coração nunca cesse de bater! Em imagens, em flores, em vida...

Bjs

Apenas eu disse...

e VivA o PORTO!!!!!!
pensei em TI;)
Estás Feliz? Eu Estou.


beijos e beijos

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...