25 de outubro de 2010

hEi-DeMoRrEr


Hei-de morrer no silêncio
Porque levo em mim os gritos da vida
Hei-de morrer na rouquidão
De todos os sonhos terem uma saída...
Hei-de morrer longe e em segredo
Porque os meus passos dançam a liberdade
Hei-de morrer por amor
Em corpo feito pele, fome e saudade...
Hei-de morrer nas distâncias e nos abraços
Entre o calor que me cala e me adormece
Hei-de morrer nos mantos da sorte alheia
Fonte dos rios que o meu peito ainda tece...
Hei-de morrer no mundo, nos leitos embriagados
Que o meu sangue um dia cobriu de mim
Hei-de morrer sorrindo, eu sei
Para nascer de novo, o nascer de um novo fim...

2 comentários:

Maria disse...

Confesso que gostaria de, um dia, morrer assim. Porque é uma forma bonita de morrer...

Abraço-te.

Maria P. disse...

...lindo.

Beijinho, Pedro.

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...