28 de maio de 2011

BaTiDa


Pelos caminhos de uma inquietação
Nas voltas da morte e da paixão
Nos leitos em sangue, mantos que a saudade tece
Deixo que a minha voz se solte em suor quente.
Por isso canto a loucura que um dia me estremece
E no outro me deixa ausente...

Pelos trilhos das histórias fecundas e em flor
Por entre poemas e versos roucos de partos com dor
Gritam-se as marés de paredes caídas em tudo o que acontece
Dentro deste lagar fogo que se faz presente.

Por isso canto a loucura que um dia me estremece

E no outro me deixa ausente...

Pelos silêncios que vagabundeiam o meu sentir
Podridão que por vezes me faz cair
Labirinto dos meus olhos, em lágrimas, como uma prece
Se deixa cruel. Esperando. Simplesmente.

Por isso canto a loucura que um dia me estremece
E no outro me deixa ausente...

Sem comentários:

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...