5 de junho de 2011

TrAg0aSoLiDã0nAv0z


Trago a solidão na voz Neste chão que me ferve o peito Nestes versos que me rasgam a direito Neste rio que se faz nascente e foz Por isso os meus passos São flores de amor São pedaços de tanto mar e marés São as ondas dos olhares que chegam Vertigens que se perdem Momentos únicos de silêncios e abraços... Que nos trazem de encontro às lágrimas Rente a estas emoções de não estarmos sós. Na solidão que trago na voz...

Sem comentários:

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...