10 de dezembro de 2011

f0sSe

Fosse o sol sempre essa bola de fogo quente...
Fosse o tempo capaz de me manter o corpo ardente...
E o meu coração jamais choraria de dor
Aconchegado no leito que cheira a pele e amor!

Fosse o céu todo, manto de sorrisos e abraços...

Fosse a terra canteiro de semear lutas e passos...
E o meu corpo jamais morreria sem manto
Aconchegado nos versos teus que nos meus olhos canto!

Fosse o mar aberto lume de aquecer cada respiração...

Fosse o rio a corrente de nos unir para sempre na eternidade da mão...
E a minha voz jamais gritaria sem destino
Como se não fosse importante este ser-se sempre menino!

O sol, sempre presente

O tempo, nunca ausente
O céu, que se sente
A terra, permanente
O mar, potente
O rio, que se sente

1 comentário:

Maria disse...

E o amor, sempre ardente...
Gosto de ti assim, sempre menino...

Abraço-te.

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...