18 de dezembro de 2011

sAuDaDeEmEsTaR

Visto mais um poema nos silêncios dos olhares
O branco de mim na voz rouca e cansada
Que canta o amor tão alto e feliz
Estar foi tudo o que sempre quis
Viagem de plantar flores na estrada
Ondas de cobrir todas as praias e todos os mares

Visto mais um canto meu no toque das mãos
A viola que ecoa no profundo sangue que corre
Que das palavras a minha alma de novo se refaz
Estar é tudo o que me dá paz
Nesta partida da chegada constante que nunca morre
Fontes de fazer crescer todos os céus e todos os corações

1 comentário:

Maria disse...

Lembro-me da imagem que vejo aqui. Um poema ou uma canção, uma voz que nunca é solidão, a força do canto sempre em paixão, o amor que renasce no coração.
Lembro-me da imagem que vejo aqui. Um regresso sempre em paz, a alegria que me refaz, todas as memórias que me traz, a ternura do abraço que me dás.
Saudade da imagem que vejo aqui...

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...