28 de fevereiro de 2012

oMeUtAmAnHo

Do alto do meu sonho canto este regaço
Feito de ti, onde a vida me contém
Pinto a alegria de outra vez te chamar, mãe
No infinito do que invento e faço

Do alto da minha saudade grito o amor
Tricotado de nós e sorrisos e tanto
No meu peito, esse cheiro eterno do teu manto
No meu sangue, o reflexo da tua voz e do teu calor

Do alto do meu lugar sei de tudo o que tenho
Desejo de alcançar a pele de renascer
Para sempre, como sempre tem de ser
Porque tudo sou eu e tem mais que o meu tamanho

1 comentário:

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...