27 de fevereiro de 2012

p0eMaDeMeNtE

Se um dia perder a madrugada
Na procura da noite silenciosamente
Talvez morra um pouco da minha estrada
Que se construiu no futuro do presente
Talvez entregue a vida ao poema demente
Só para acreditar que do tudo não resta nada...

Se um dia calar o meu grito de assim amar
Na inquietação onde florescem telas e cores
Talvez adormeça a mordaça do meu caminhar
Asfixiado em alegrias e odores
Talvez acorrente sonhos e horrores
Só para finalmente saber acordar...
.
.
.
.
.
.


2 comentários:

T.H.A.R.Y disse...

Amei seu blog as poesias são lindas, profundas e uma forma diferente de se entender. parabens.
Thary de:
Pensando em *Silêncio:http://pensandosilencio.blogspot.com/

*Pensamentos em musicas:
http://pensamentosemmsicas.blogspot.com/


*Historiando: http://histriando.blogspot.com

OUTONO disse...

...se um dia o teu poema se calar e, o caminho do teu escrever esgotar...acredita apenas restará o pó do verbo que nos faz respirar.

Tu és dom...palavra e olhar, capaz de ir além no mar do teu interior e dizeres ...apenas com o teu sonho, que há imensas viagens por escrever e poemas para partilhar.

Fez-me bem passar por aqui...e deixar-te um abraço!

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...