23 de novembro de 2011

SuSsUrRo

No sussurro dos silêncios mora a inquietação
Rompem chagas e gritos
Que aperto na minha mão!
Lágrimas de suores aflitos
À deriva nas tempestades da paixão
Junto ao lago fundo
De perder todo o mundo...
Os meus passos, voz cansada de chamar
Corpo fraco de cantar
Carregado de um tempo por encontrar
Na corrente dos meus versos turvos que nada mais sabem que um buraco tão escuro que tudo revela no frio das suas entranhas, jaula da aflição.
No sussurro dos silêncios mora a inquietação...




3 comentários:

OutrosEncantos disse...

vim te ver, Pedro.
faz tempo que não passava por aqui...

deixo-te um beijo num sussuro
e um abraço na inquietação do teu cansaço.

Maria disse...

No silêncio do meu grito ouviste-me e vieste. Que da tua ausência o tempo era já bastante. Na surpresa de mim um olhar menino e sorriste. Que do abraço nosso restou apenas este instante.

Obrigada. Amo-te!

... disse...

Olá! Já não passava aqui há algum tempo. vim ver como estás. Será que para a próxima poderias por as letras um bocadito maiores é que eu vi-me atrapalhada para conseguir ler, mas graças a ti percebi que tenho que marcar consulta no oftalmologista :)

Eu só te quero dizer que eu penso que a morada da inquietação é mesmo dentro de ti... tem nome essa Rua?

beijos Pedro
Saudades Tuas

LeGeNdA

Pac-man e suas princesas