5 de abril de 2009

dEiXaDeMoRrEr


Perdes-me a cada momento em que de novo chamas o silêncio para te aquecer o leito... Deixas-te ficar no horizonte dessa correnteza estranha da tua história. Não cantas. Não choras. Não chamas. Quedas-te prisioneira do passado, que não te liberta o futuro. Podias gritar... Talvez o teu corpo percebesse então que tens a tua vida na palma das mãos!

5 comentários:

Maria disse...

Engoli cada palavra. Ficaram-me coladas à pele.
Vou ali e depois talvez volte...

Beijo-te.

LUZ disse...

"o meu retrato"
... ... ... ... ...

(impossivel nao deixar umas palavras)

Beijo, Lina

dulce disse...

Podias gritar... podemos gritar... vamos gritar?
Perceber que temos a vida na palma das mãos!
Que somos livres de gritar, se escolhermos gritar!

Muito bonito Pedro.

beijo muito grande!

Dulce

mariam disse...

____________ Lindo_________ .

Apenas eu disse...

Que música estás a tocar e cantar?
Qual o som que se ouve por aí?

Estas Tuas palavras encaixam em mim e de certeza em muitas pessoas agarradas a "passados".

dás-me licença que eu grite??
depois não digas que eu não te avisei... :))

Até eu tenho de deixar de "morrer"...

(adorei a anedota, nem tás vem a ver, até chorei de tanto rir...)

beijinhos Pedro

aLuCiNaÇã0

Prometo-te um poema de amor, meu amor. Sim, hei-de chamar-te "meu amor"... Posso, meu amor? Gosto da palavra "amor&quo...