2 de abril de 2009

rEeNc0nTro


A ponte dos meus versos
Liga as margens de mim
De um lado pesadelos dispersos
Do outro, um inquieto jardim

O rio, esse, é de amor
De paixão e eterno desejo
Que desagua num mar de dor
Onde cada onda se transforma em beijo

Natureza de palavras conhecidas
Pintadas à minha vontade
São as voltas mais antigas
Que procuram fonte de verdade

24/4/2003

5 comentários:

Maria P. disse...

E como são lindíssimas as tuas pinturas-palavras...

Beijinho*

Apenas eu disse...

Só posso Dizer:
Lindo.

beijos

Maria disse...

De um lado
ou do outro lado
foste, és, serás sempre TU
(assim, vermelho sangue Abril)!!!

Um beijo, Pedro

mariam disse...

Pedro,

o teu 'eu' é um manancial de poesia...
que aqui partilhas, p'ra sorte nossa :)

bom fim-de-semana
um sorriso :)
mariam

mariab disse...

e é pelos teus versos que te sabemos poeta. do amor. da dor. dos rios que por ti passam.
beijos

LeGeNdA

Pac-man e suas princesas