10 de abril de 2009

sAbErEiDaSaLiVaCoMqUeTePiNtEi



Saberei deitar-me sobre o fim


Cair em cada nova lágrima ainda quente


Talvez impelir o silêncio de encontro ao meu peito


Quem sabe gritar mais alto que toda a gente...


Saberei ter-te na memória eterna dos meus dedos


Pedir um outro acordar e seguir em frente


Talvez inventar uma outra praia infinita


Com que nos vamos expulsando como quem mente


Eu sei que gira e gira e gira o mundo que sempre gira


Pelos seus becos e labirintos que nos corta em mantas de nós


Talvez um dia saiba morrer digno da saliva


Com que te pintei todos os dias ao sol poente

6 comentários:

Maria disse...

Adivinho-te na memória eterna dos teus dedos...
Saberás?

Um beijo, Pedro
(quase ao sol poente...)

L.Borges disse...

Um grito suave, no silêncio...

Muito bonito!

Apenas eu disse...

Saberei da saliva com que te pintei...

Gosto de te ler assim.
Apaixonado e inquieto nas palavras.

beijo meu

Maria P. disse...

Saberás, sim...

Beijinho.Pedro*

AnaMar (pseudónimo) disse...

Páscoa Feliz.
E um beijo. Ao Sol...

Paula disse...

Boa noite,
Já aqui tinha vindo, mas com pouco tempo...
Gostei!
A imagem é das minhas flores de eleição: Papoilas...
Este é um espaço tranquilo e muito agradável, parabéns!
Um beijo e um desejo de Páscoa feliz

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...