3 de julho de 2009

SiLêNcIoSaLt0s



Tão alto soam as multidões

Os saques e os sermões

Jardins de beijos e traições

Ondas e praias cansadas de canções

Lambidelas de fome e inquetações...

.

.

Danço nesses silêncios altos da cidade

Perto demais de cada eternidade

Feita poema e fonte sem idade

Que de mim se faz grito e verdade

Com que me pinto de novo em cada saudade

13 comentários:

Papoila disse...

A tela que guardamos na alma. Saudade...

BF

Maria disse...

Tão baixo grita o silêncio que me invade
que ninguém o ouve de verdade
apenas eu o sinto numa eternidade
e ficará dentro de mim com saudade

solto as asas e voo lentamente
carrego-me de beijos e amores docemente
ao som da viola canto eternamente
e sei que assim nunca serei ausente

Um beijo, Pedro

Lídia Borges disse...

Parece que as palavras aqui reunidas, são velhas amigas pela forma harmoniosa como interagem criando uma melodia feliz.
Apesar da saudade!

L.B.

Tudo de mim. Ou quase. disse...

A saudade é da tristeza. E talvez seja melancolia da minha parte, mas vejo na tristeza algo de belo. A eternização (que poucos atingem) está adormecida em cada palavra de um poema calado, que grita no peito ébrio daqueles que sentem.

Tudo de mim. Ou quase. disse...

Post Sciptum:
Bem-haja pela visita.
Volte sempre que quiser.

mariam disse...

Pedro,

saudade e renovação... muito bonito!

um sorriso :)
beijinhos
mariam

Som do Silêncio disse...

Leio-te...e gosto!
Gosto-te..e sinto!
Sinto-te...

E deixo um beijo meu
:)

Apenas eu disse...

"jardins de beijos e traições"
"inquietações"
onde se perde a idade e se faz um poema assim...

"Tanta saudade eu guardo,
em mim de tanta vida vivida,
a saudade é doce
e no meu diccionário não existe a palavra despedida."


Esta é a quadra que fiz de S. João atrasada mas está aqui :)

Beijos

Luísa disse...

Há umolhardeperto, que adora as palavras, os seus investimentos e seus rasgos de vaidades!
Há palavras que nos unem e nos envolvem por estes trilhos traçados entre quem te vê e lê!
Obrigada pela visita ao olhardeperto.Voltarei a visitar as palavras que nos unem!

gabriela rocha martins disse...

e com saudade escrevo

um novo
re encontro


no momento certo



.
um beijo

Ana Martins disse...

Bravo Pedro, simplesmente lindo!

Beijinhos,
Ana Martins

Chris disse...

Na eternidade dos silêncios, as palavras nascem...
Abraço
Cristina

Tchi disse...

Grito dos silêncios gigantes da urbanidade.

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...